Março 8, 2020

O lugar da mulher é onde ela quiser e com respeito

O lugar da mulher é onde ela quiser e com respeito

Hoje a tarde, enquanto estava lendo notícias pelo Twitter, me deparei com a publicação da @KateOflaherty:

Como hoje é o Dia Internacional da Mulher, achei muito pertinente trazer o artigo publicado para reflexão.

Infelizmente, lendo o artigo publicado por ela, fica evidente que não é só aqui no Brasil que as mulheres enfrentam dificuldades em entrar ou fazer da parte da área de segurança em geral e por isso:

Something has to be done.
(Algo precisa ser feito - tradução nossa)

É verdade que estamos vendo a participação das mulheres aumentar nas conferências, em um time de segurança e dentre outros espaços, mas as situações que muitas passam é constrangedora, desde uma falta de respeito a um assédio moral ou sexual.

De acordo com o estudo feito por Jane Frankland, mencionado no artigo, de uma amostra de 2150 mulheres espalhadas pelo mundo, uma a cada quatro já foram vítimas de assédio em conferências e por mais que elas tenham vontade de palestrar, o espaço é comumente cedido apenas para homens.

Para a pessoa que pratica o assédio moral ou sexual, além de ser uma pessoa sem educação, desrespeitosa e de mal caráter, talvez ela não saiba que é considerado crime. E em relação as palestras, porque as mulheres precisam provar mais do que os homens que são capazes? Isso está errado, afinal:

Gender shouldn’t be important if you are good at what you do, but conference attendees sometimes think otherwise
(O gênero não deveria ser importante se você é bom naquilo, mas infelizmente os participantes das conferências acham o contrário - tradução nossa)

Como você acha que cenário pode mudar?

Uma coisa é certa, o lugar da mulher é onde ela quiser e com respeito.