Junho 6, 2021

"Segura o portão que vou entrar"

"Segura o portão que vou entrar"

Dias atrás, ao chegar da feira com a minha esposa, enquanto estava entrando no prédio, uma pessoa segurando um jarro de flores pediu que segurássemos o portão que ela também ia entrar. Com tantos sacos de feira na mão, acabei segurando a porta com o pé pra que essa pessoa entrasse.

Nunca tinha visto essa pessoa aqui no prédio, é verdade, mas confesso que também são poucos moradores que conheço aqui. Não saberia dizer se é um morador ou não.

Como fui com minha esposa pela parte de trás, por causa que estávamos com a feira, só vi de longe o Ermilton, que estava na portaria no dia, abordando o camarada que entrou junto com a gente e logo em seguida ele foi embora. Depois que o camarada das flores foi embora, Ermilton nos chamou atenção:

Pessoal, muito cuidado quando for entrar e tiver alguém que vocês não conhecem atrás de vocês, imagina se esse cara é um ladrão!?. Como nunca vi ele aqui, falei pra ele que ele entrou no prédio errado e mandei ele embora [...]

Com sua simplicidade e atenção de sempre, Ermilton foi muito feliz com seu comentário, teve toda razão em nos chamar atenção. O prédio é antigo, não tem aquelas gaiolas para que entre um por vez, não é uma empresa onde se usa crachás, portanto, conta-se com nossa atenção para evitar esse tipo de coisa.

O carinha das flores não queria roubar o prédio, não tinha armas, aparentemente não tinha más intenções, realmente errou o prédio, mas na prática, podemos dizer que se ele tivesse más intenções, o famoso ataque de engenharia social, conhecido como tailgating teria sido executado com sucesso. Afinal, o carinha das flores usou da minha gentileza, para que pudesse entrar em um local o qual ele não estava autorizado a entrar. Graças a Deus nada de ruim aconteceu.

Por ser da área de segurança da informação, a nossa atenção fica aguçada em muitos aspectos, mas sim, dessa vez, essa situação foi um vacilo, mas que serviu de aprendizado para que não aconteça mais.

E você, já passou por alguma situação parecida?